Bolsonaro edita MP que libera R$ 2 bilhões para possível vacina contra Covid-19

O Brasil chegou às 98 mil mortes e 2,9 milhões de infectados pela Covid-19 nesta quinta-feira. Desde as 20h de quarta, foram registrados 1.226 óbitos e 54.801 novos casos da doença. O país totaliza 98.644 vidas perdidas para o novo coronavírus e 2.917.562 pessoas infectadas.
As informações são do boletim das 20h do consórcio de veículos de imprensa, formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.
São três boletins diários. O próximo será liberado às 8h de sexta-feira. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Cáculos do governo

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde na noite desta quinta-feira indicam que o Brasil registrou 53.139 novos casos de Covid-19, além de 1.237 mortes, das quais 392 ocorreram nos últimos três dias. Com isso, o país chega a 2.912.212 infectados e 98.493 óbitos. Há ainda 3.544 mortes em investigação pela pasta.
São Paulo é o estado com mais casos da doença: 598.670 até o momento. Seguido por Bahia (183.690), Ceará (183.301), Rio de Janeiro (174.064) e Pará (162.822). Em relação às mortes, São Paulo também aparece na frente, com 24.448. Depois vêm Rio de Janeiro (13.941), Ceará (7.893), Pernambuco (6.828) e Pará (5.835).
O presidente Jair Bolsonaro editou uma Medida Provisória (MP) nesta quinta-feira que libera cerca de R$ 2 bilhões em crédito extraordinário para a produção e disponibilização de possível vacina contra a Covid-19, que se encontra em fase de pesquisa. A MP foi assinada por Bolsonaro em evento no fim desta tarde, no Palácio do Planalto.
— A nossa contrapartida, basicamente, é financeira no momento, com algumas pessoas também, quase R$ 2 bilhões. Talvez em dezembro, janeiro, exista a possibilidade da vacina, e daí esse problema estará vencido poucas semanas depois — disse Bolsonaro, fazendo uma crítica ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em seguida: — E o que é mais importante nessa vacina, diferente daquela outra que um governador resolveu acertar com outro país, vem a tecnologia pra nós. E junto com os meios que nós temos, nós temos como realmente dizer que fizemos o possível e o impossível para salvar vidas, ao contrário daqueles que teimam em continuar na oposição desde 2018, dizer o contrário — completou.
A vacina que receberá a verba do governo brasileiro é a do laboratório AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, que está sendo testada no Brasil e será produzida pela Fiocruz a partir do fim do ano.
Siga-nos nas redes sociais.

 

Compartilhe!



Portal Zeamerica